Assistência 24h: 0800-073-5939
73 98833-3831
73 3525-3239

Câncer de intestino: causas, sinais e prevenção

Câncer de intestino: causas, sinais e prevenção

O câncer de intestino é também conhecido como câncer de cólon e reto, ou câncer colorretal. É tratável na maioria dos casos, e pode ser evitado quando lesões benignas são identificadas precocemente.

O intestino humano pode ser dividido em duas partes: uma parte mais fina, chamada de intestino delgado, responsável pela digestão e absorção de alimentos; e a parte mais grossa, chamada de intestino grosso, responsável pela absorção da água, pelo armazenamento e eliminação dos resíduos, ou seja, as fezes.

É nesta parte mais grossa que o câncer costuma se desenvolver (o câncer na parte fina do intestino é raro). A doença surge a partir do desenvolvimento de pólipos intestinais e, apesar de curável, pode ser perigosa porque os seus sintomas são facilmente confundíveis com problemas mais simples, tais como as hemorroidas e a intoxicação alimentar.

Para ajudar a disseminar informação, a Pax Nacional preparou este artigo explicando quais são as causas, como prevenir e quais são os sintomas do câncer de intestino. Mas atenção: estas informações não substituem a consulta médica. Recomendamos consultar com um gastroenterologista ou um clínico geral em casos de dúvidas.

O que são os pólipos intestinais?

O pólipo é uma alteração anormal da mucosa do intestino grosso. São vistos como pequenas lesões benignas nas paredes do intestino e são os grandes responsáveis pelo desenvolvimento do câncer de intestino. Ao crescerem, podem se transformar em lesões malignas.

A remoção e tratamento dos pólipos intestinais é, portanto, uma das principais maneiras de prevenção do câncer.

Eles surgem a partir de mutações das células da mucosa e são mais comuns depois dos 50 anos de idade. No entanto, a hereditariedade também é um risco grande.

Os sintomas estão diretamente relacionados aos sintomas do câncer de intestino.

Existem outras maneiras de prevenir o câncer de intestino?

Além da remoção dos pólipos, as outras formas de tratamento estão relacionadas a facilitação do funcionamento do intestino. Ou seja, manter hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada, ajuda a não sobrecarregar o órgão.

Mantenha um padrão de alimentação rico em fibras e prefira alimentos in natura, orgânicos ou minimamente processados. Por exemplo: cereais integrais, grãos, sementes, feijões, legumes, verduras e frutas.

Principais riscos

Como já mencionado no texto, o câncer está principalmente relacionado aos pólipos intestinais, e essas lesões estão relacionadas a idade e a hereditariedade.

Portanto, pessoas com idade igual ou acima de 50 anos e com casos da doença na família, são os mais vulneráveis ao câncer de intestino. Casos de outros tipos de câncer na família, como ovário, útero ou mama, também devem ser monitorados.

Manter hábitos não saudáveis, como uma alimentação pouco natural e pobre em fibras, ser sedentário, fumar e consumir álcool excessivamente, também aumenta o risco de desenvolvimento da doença.

O câncer pode surgir a partir de outras doenças do intestino além dos pólipos, ainda que seja menos comum. Retocolite ulcerativa crônica e a doença de Crohn merecem cuidados redobrados e acompanhamento médico recorrente.

E, assim como em outros tipos de câncer, a exposição ocupacional à radiação ionizante (profissionais do ramo da radiologia) também merece atenção e cuidados.

Quais são os sintomas do câncer de intestino?

O câncer de intestino pode se tornar perigoso justamente pela dificuldade de reconhecimento dos sintomas. Especialistas se referem a ele como um câncer traiçoeiro, isso porque a maior parte dos sintomas também estão relacionados a problemas mais comuns, como hemorroidas, fissuras anais, verminoses, intoxicação e infecção intestinal.

O sangue nas fezes, por exemplo, normalmente representa hemorroidas, mas pode ser diagnosticado de forma errada se não houver um cuidado específico. A diferença entre o sangramento causado pela hemorroida e o causado pelo câncer é quase nula aos olhos de um leigo. O primeiro é vivo e não misturado às fezes, enquanto o segundo é misturado e pouco perceptível.

Por isso, a qualquer aparição de sangue, o certo é visitar um médico para exames.

Outros sintomas do câncer de intestino são: constipação e/ou diarreia frequente (podem ser alternados), fraqueza e anemia, emagrecimento, dor abdominal e alteração na forma das fezes.

A recomendação é: se você faz parte do grupo de risco, qualquer alteração no ritmo intestinal deve ser investigada.

Exames para detecção

Todo câncer possui maiores chances de cura quando diagnosticados precocemente, o câncer de intestino não é diferente.

Caso apresente de forma persistente os sintomas mencionados, ou faça parte do grupo de risco, você deve procurar um gastroenterologista ou um clínico geral. Eles, provavelmente, irão pedir os principais exames de detecção da doença: pesquisa de sangue oculto nas fezes e endoscopias.

É possível que o médico peça algumas alterações na dieta e no estilo de vida para observar mudanças, antes de pedir pelos exames. Neste caso, siga todas as recomendações e se esforce para mudar alguns hábitos.

Uma vida saudável pode melhorar muito a nossa saúde e a nossa rotina. Aqui no blog da Pax Nacional você encontra diversos artigos com dicas para isso. Não deixe de conferir!

Este conteúdo foi útil para você? Deixe seu comentário, curta e compartilhe; seu feedback é muito importante para nós. E não se esqueça de assinar a nossa newsletter. Até a próxima!

Cadastre-se para receber novidades

Pax Nacional

Atendimento

Assistência 24h: 0800-073-5939

73 98833-3831

73 3525-3239

falecom@grupopaxnacional.com.br